domingo, 16 de outubro de 2011

Humor Negro (microconto)

       O dia se manteve normal no escritório até a gente receber aquela notícia bomba. A companhia seria vendida e haveria demissão em massa. Desolados, voltamos ao trabalho sem nenhum entusiasmo. Alguns funcionários reuniram um grupo, que se dirigiu à diretoria em busca de explicações e recebeu a seguinte resposta: “se não vendermos, falimos”...
     
     Subitamente, um dos empregados começou uma campanha inflamada contra o “pé na bunda coletivo” e foi suspenso. Eu já contabilizava meus futuros prejuízos, quando gargalhadas ecoaram feito trovões na sala do chefe. Foi aí que notamos, pendurada em sua porta, uma placa onde se lia: “1º de abril, ah, ah!”
      Respirei aliviado, mas no dia seguinte o diretor tinha um olho roxo que não sabia explicar.
 

Um comentário: